Unidos pela Vacina: Insumos não são obstáculos para vacinação nos municípios do Paraná

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que tem recursos e insumos suficientes para atender todos os municípios paranaenses

Em oficio assinado pelo Governador Carlos Massa Ratinho Junior, o Governo do Paraná informou tem estoque e recursos suficientes para atender todas as demandas por insumos básicos como seringas e agulhas, bem como equipamentos de refrigeração.

Esse levantamento foi feito através da pesquisa do Instituto de Pesquisa Locomotiva  que apontou números sobre a infraestrutura e planejamento, andamento da vacinação e os principais desafios dos municípios brasileiros. O Paraná foi um dos primeiros estados do Brasil a responder a pesquisa com resultados de todos os 399 municipios, graças ao esforço conjunto do Senador Flávio Arns, do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-PR), do Grupos Mulheres do Brasil-PR e do MEX- Mulheres Executivas/PR.

Segundo os líderes do movimento Unidos pela Vacina no Paraná,  Artur Grynbaun/Grupo O Boticário e Regina Arns/Grupo Mulheres do Brasil-PR,  o objetivo foi traçar um panorama sobre a situação dos municípios paranaenses para o desenvolvimento, em conjunto com o Governo do Estado e secretarias municipais de saúde, de soluções adequadas para auxiliar a aceleração da vacinação. Com o apoio da Federação das Indústrias do Estado do Paraná – FIEP, a pesquisa recebeu tratamento dos dados, réguas de priorização, definição de metodologias de classificação da vulnerabilidade ou não dos municípios paranaenses

Todos esses dados foram apresentados para o Secretário Estadual da Saúde, Beto Preto e para a Superintendente de Atenção à Saúde, Maria Goretto Lopes, com o objetivo de traçar uma estratégia única entre governo e iniciativa privada. “O que nós queremos é agir de forma transparente com o governo estadual, prefeituras municipais e com a iniciativa privada que está aderindo, de forma exemplar, o Unidos pela Vacina no Paraná”, afirmou Artur Grynbaum, vice presidente do Conselho de Administração do Gruppo O Boticário e líder do movimento paranaense.

A Secretaria evidenciou que, caso as empresas tenham interesse, a iniciativa privada poderá complementar as necessidades junto aos municípios prioritários com caixas térmicas, termômetros e insumos para as salas de vacina como material de higiene, lixeira com pedal, caixas de descarte de materiais perfurocortantes.

Regina Arns aponta outro aspecto do cenário dos municípios paranaenses. ”A pesquisa apontou que 50% dos municípios manisfestaram a necessidade de uma comunicação mais direta, no sentido de  levar mais orientações para a população sobre a vacina.  Orientações como a importância da vacina, local e cronograma da vacinação em cada cidade”, explicou Regina. Nesta linha, ficou estabelecido que o Movimento Unidos pela Vacina/PR irá buscar apoio de empresas para promover campanhas de comunicação. Ideias de ações, materiais e estratégias de divulgação e mídias serão alinhadas entre o movimento e a SESA.