Impostômetro marca R$ 800 bilhões amanhã, 14 dias antes do que no ano passado

O Impostômetro da Associação Comercial do Paraná (ACP), que replica os números do painel instalado no prédio da entidade do setor produtivo de São Paulo, chegará à marca de R$ 800 bilhões nesta quarta-feira (10), por volta das 15h. O valor representa o total de impostos, taxas e contribuições pagos pela população brasileira desde o primeiro dia do ano. Em 2016, esse mesmo montante foi arrecadado somente em 24 de maio, ou seja, 14 dias mais tarde.

Até o momento, essa é a maior diferença de tempo nas arrecadações na comparação entre 2016 e 2017:

• R$ 100 bilhões – mesmo dia do que em 2016
• R$ 200 bilhões – 4 dias antes do que em 2016
• R$ 300 bilhões – 9 dias antes do que em 2016
• R$ 400 bilhões – 8 dias antes do que em 2016
• R$ 500 bilhões – 9 dias antes do que em 2016
• R$ 600 bilhões – 10 dias antes do que em 2016
• R$ 700 bilhões – 9 dias antes do que em 2016
• R$ 800 bilhões – 14 dias antes do que em 2016

No portal www.impostometro.com.br é possível visualizar os valores arrecadados em todos os estados e municípios, e também por período e categoria (produção, circulação, renda, propriedade). O painel foi implantado para conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar os governos por serviços públicos de qualidade.

O impostômetro da ACP está instalado na fachada da sede da entidade, localizada na Rua XV de Novembro, 621.

Impostômetro ultrapassa marca de R$ 500 bilhões em tributos arrecadados

Nesta segunda (6), o painel eletrônico instalado na fachada da Associação Comercial do Paraná alcançou a marca de R$ 500 bilhões em impostos arrecadados pelo governo desde o início do ano. O número foi alcançado com nove dias de antecedência em comparação a 2014.

“Isso demonstra que o governo está arrecadando e gastando de forma cada vez mais acelerada, apesar do momento econômico ruim vivido pelos setores de comércio e indústria a caminho da recessão. O setor produtivo já não é capaz absorver o grande número de novos impostos fixados pelo governo, e infelizmente quem acaba pagando esta conta é o consumidor final”, disse o presidente da ACP, Antonio Miguel Espolador Neto.

O valores exibidos no Impostômetro equivalem ao montante pago pelos brasileiros em impostos, taxas e contribuições desde o primeiro dia do ano. O dinheiro é destinado à União, aos Estados e aos municípios.