ACP se manifesta contra juros dos cartões de crédito e cheques especiais

Em correspondência encaminhada ao presidente Michel Temer, ministro da Fazenda Henrique Meirelles e presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, a Associação Comercial do Paraná (ACP) manifestou-se preocupada com as elevadíssimas taxas de juros cobradas pelos cheques especiais e cartões de crédito, solicitando a correção do problema que é grave para a economia popular e o desenvolvimento do empreendedorismo.

O documento lembra também às autoridades financeiras que a próxima reunião do COPOM, tendo em vista a existência de condições favoráveis, autorize a redução ainda maior da taxa básica de juros da economia (SELIC), com a finalidade de aproximá-la dos níveis praticados nos principais países do mundo globalizado.

A seguir a íntegra da carta assinada pelo presidente Gláucio Geara.

Excelentíssimo senhor:

Interpretando o entusiasmo confiante que se manifesta entre os mais de 30 mil empresários filiados à Associação Comercial do Paraná (ACP), entidade com 127 anos de história e a mais antiga dentre as organizações representativas do setor produtivo em nosso Estado, apresentamos a Vossa Excelência sinceros votos de apreço e agradecimento em face da recente iniciativa que reduziu a taxa Selic para 7% ao ano.

Iniciativa que passar a figurar na história recente por seu ineditismo e confiança na retomada do crescimento econômico, com certeza terá efeito prático na economia de bilhões para o Tesouro Nacional.
Aproveitamos o ensejo memorável para encarecer diante dos principais condutores da economia brasileira, a segura probabilidade de reduzir ainda mais a taxa básica de juros, a exemplo do que têm feito as economias mais desenvolvidas do mundo globalizado.

É o momento, também, para sublinhar a importância do encaminhamento da resolução da problemática referente aos juros do cheque especial e dos cartões de crédito, que chegam respectivamente a absurdos e impensáveis 250% e 400% ao ano, responsabilidade da qual o Banco Central e mesmo o Conselho Monetário Nacional não podem se omitir, com a finalidade de evitar tanto a exploração imposta à economia popular, quanto a morte prematura de promissores projetos empresariais pelos elevados juros e linhas de crédito inacessíveis.

Sem mais motivos para o presente, a Associação Comercial do Paraná se ombreia aos merecidos agradecimentos originários de todos os pontos do país à aprovação da Reforma Trabalhista, assim como às demais medidas já adotadas, que depois de tantos anos de inércia e leniência, transformam o Brasil numa pátria mais justa para todos os seus filhos.

5 novas formas de pagamento usando tecnologias inovadoras

O brasileiro já está acostumado a usar dinheiro de plástico na hora de efetuar suas compras no varejo físico e online. Não por acaso, o setor de cartões de crédito deve crescer neste ano 7,5% por conta da forte adesão dos brasileiros a esse meio de pagamento, segundo informações fornecidas pela Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito (Abecs).

À medida que o cartão de crédito se torna “carne de vaca” no mercado brasileiro de meios de pagamentos, surgem novas iniciativas que apontam para o futuro das compras no país. Na era do chamado “pagamento sem atrito”, as palavras de ordem são conveniência, agilidade e segurança.

Veja abaixo cinco novas formas de pagamento que prometem mudar a vida dos consumidores brasileiros nos próximos anos:

Pulseiras inteligentes

A Stone, empresa de maquininha que processa pagamentos, desenvolveu pulseiras equipadas com tecnologia NFC, de comunicação por proximidade, que permite que motoristas paguem o pedágio sem qualquer contato físico. A pulseira inteligente promete resolver problemas de atrito no pagamento que afetam principalmente os motociclistas, que até hoje não contam com dispositivos instalados no veículo para pagamento automático de pedágio.

Pagamento online na lotérica

Para fazer uma compra pelo e-commerce, não é mais necessário ter uma conta bancária. A gateway MundiPagg se uniu à SafetyPay, plataforma para pagamento no débito online, para lançar uma solução que permite ao comércio eletrônico realizar suas vendas para consumidores que não dispõem de cartões de crédito nem possuem uma conta no banco, permitindo o pagamento em dinheiro na casa lotérica mais próxima. O cliente só precisa apresentar um token de identificação e a confirmação da compra acontece em tempo real, agilizando também a entrega do produto adquirido pela internet.

Ônibus no cartão

Em São Paulo, parceria da adquirente Stone com a Autopass, a Mastercard e a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) permitiu desenvolver uma solução pioneira que deve facilitar a vida dos passageiros de ônibus da capital: por ela, o pagamento de passagens pode ser feito com uso de cartões de débito, crédito ou pré-pagos. O sistema funciona graças à tecnologia contactless (sem contato), em que o usuário aproxima o cartão de um leitor digital para efetuar a compra da passagem.

Pagamento por selfie

O banco digital Neon lançou uma função que permite aos portadores de cartões Visa validarem suas compras online por reconhecimento facial. Pelo recurso, o cliente tira uma foto na abertura de sua conta no banco e essa imagem fica armazenada no banco de dados da instituição, como uma espécie de senha facial, que funciona exatamente como uma senha numérica ou digital. Ao fazer uma compra, o consumidor, então, tira uma selfie e o sistema de segurança e autenticação faz o pareamento para verificar se a imagem corresponde à foto cadastrada no sistema.

Compra por identificação biométrica

A Mastercard já está testando no País um sistema que, além de reconhecimento facial, usa leitura biométrica de impressões digitais para pagamentos de compras realizadas na internet. A Mastercard Identity Check, que já opera em 14 países, funciona por meio de smartphones, tablets e desktops conectados à rede. Como esse tipo de “senha” é imutável, ele torna todas transações mais rápidas e seguras, o que é particularmente importante para garantir o fechamento das compras no ambiente online.