Paraná contratou quase 37 mil trabalhadores temporários

Estima-se que o Paraná registrou a contratação de 36.899 vagas de trabalho temporárias em 2019, um aumento de 13,7% em comparação a 2018, de acordo com os dados da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem). O aumento de temporários do estado está em linha com o índice de crescimento projetado para o Brasil: de 13,8% – 553 mil pessoas em 2019 frente a 486 mil, em 2018. O Paraná está na segunda colocação em número de postos de trabalho criados para esse período de fim de ano, atrás apenas de São Paulo.

Do total do estado, aproximadamente 25% das vagas foram abertas em Curitiba e Região Metropolitana. “A maior parte das vagas temporárias está concentrada em setores para dar conta da maior demanda de consumo do período de fim de ano, que envolve sobretudo a Black Friday e o Natal. No entanto, os postos de trabalho não estão apenas nas lojas”, explica o vice-presidente da Assertem e CEO do Grupo Employer, Marcos de Abreu. “A área de logística e muitos setores que apoiam o varejo, como o marketing e o comercial, também são beneficiados por essa expansão sazonal”, ressalta.

Varejo forte

Os dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontam que, no varejo, as principais contratações foram no setor de vestuários e calçados (62,5%), hiper e supermercados (12,8%), artigos de uso pessoal e doméstico (10,7%) e móveis e eletrodomésticos (3,6%). Os novos profissionais são contratados para suprir o aumento da demanda dos consumidores. As perspectivas de gasto somente para o Natal foram de R﹩ 35,9 bilhões – as vendas da Black Friday foram de R﹩ 3,2 bilhões, de acordo com levantamento do Ebit e da Nielsen.

Do total de vagas abertas, a maioria foi preenchida por vendedores, operadores de caixa e na área de almoxarifado. Outros setores que se beneficiaram com as contratações foram as áreas de marketing e vendas e gerentes/responsáveis especializados em operação comercial. O salário médio de admissão é R﹩ 1.263, aumento de 4,2% em comparação a 2018. Segundo a CNC, 26,1% dos temporários devem ser efetivados, o maior índice dos últimos cinco anos.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.