7 coisas que o RH não deve fazer em uma entrevista

7 coisas que o RH não deve fazer em uma entrevista

Muito se fala sobre o que os candidatos devem ou não fazer durante uma entrevista de emprego, mas o sucesso de um processo seletivo também depende dos recrutadores. Esses profissionais devem ficar atentos a todos os detalhes durante o processo, desde o momento da divulgação da vaga, até a contratação do novo colaborador. Mas, não é o que acontece em muitos casos.

“Apesar de parecer uma tarefa simples para o RH, muitos deslizes acabam sendo cometidos nesta etapa. A boa notícia é que a maioria deles podem ser evitados com algumas dicas. Se preparando da maneira correta, é possível que nada prejudique o processo de seleção e a imagem da empresa como marca empregadora”, afirma Nathalia Paes, desenvolvimento de negócios do InfoJobs, empresa de tecnologia para recrutamentos.

A especialista separou os 7 erros mais comuns dos recrutadores:

1. Não fazer uma pré avaliação do candidato

Deixar de fazer uma pré-avaliação do candidato é um erro que pode acabar custando mais tempo de entrevista, falta de direcionamento da conversa, e até mesmo desajuste no perfil esperado. Isso acontece, algumas vezes, porque o perfil do candidato é selecionado por uma pessoa e encaminhado para outra que, normalmente por falta de tempo, não analisa o currículo antes do bate-papo

2. Não definir o tipo de entrevista de acordo com a vaga

É preciso avaliar o perfil da vaga e definir qual tipo de teste e entrevista se adequa melhor aquela oportunidade. Normalmente, um processo não precisa anular o outro. Algumas empresas escolhem duas ou mais maneiras de avaliar o candidato, por exemplo, vídeo entrevista em grupo e individualmente.

3. Fazer perguntas irrelevantes ou que ultrapassem o limite profissional

Pode parecer simples, mas formular as perguntas certas é uma das principais etapas de uma entrevista. No entanto, se feitas da maneira errada, podem colocar tudo a perder. Alguns exemplos de perguntas que podem ser evitadas são: Qual é sua orientação sexual? Qual a sua religião? Você planeja ter filhos? Sua vida social é agitada? Você tem dívidas?

4. Exagerar no nível de formalidade (ou no de informalidade)

Esse ponto deve ser levado em consideração ainda mais em tempos de home office. Assim como uma entrevista formal demais pode intimidar o candidato e fazer com que ele não se sinta à vontade, muita informalidade pode passar a imagem de falta de profissionalismo por parte da empresa. O equilíbrio é a melhor escolha.

5. Favorecer candidatos que compartilham de suas ideias pessoais

Apesar de parecer uma dica básica do que o RH não deve fazer, o fator humano social pode falar mais alto. Para isso não acontecer, se blinde de interferências que não tenham a ver com o foco do trabalho e as competências do entrevistado. A dica é ter um comportamento humanizado, mas focar no que interessa.

6. Fazer julgamentos precipitados

Os primeiros minutos da entrevista têm impacto em relação ao que o entrevistador está vendo, como aparência, roupa e postura. No entanto, evite estereotipar o candidato por conta de preconceitos internos, e não se deixe enganar somente com esses fatores.

7. Prometer um retorno que não vai acontecer

Uma das principais reclamações dos candidatos em relação ao RH é a falta de retorno sobre os processos seletivos. Problemas como esses atrapalham o posicionamento da empresa como marca empregadora. Com isso, sempre deixe claro como serão as próximas etapas e qual tipo de retorno será dado, em casos positivos ou negativos.
“Se o problema for falta de tempo para organizar o processo e garantir a atenção necessária a todos os candidatos, existem softwares de recrutamento e seleção que podem ajudar com soluções digitais”, aconselha Nathalia.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *